quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

CAMARADA VALDER


Camarada Valder,

Não está certa essa sua partida, não faz nenhum sentido você ir embora agora, está tudo errado, não morrem os criminosos, os corruptos, os pedófilos, os banqueiros, os generais que invadem países e matam crianças e mulheres grávidas, não morrem os demônios na sua eternidade...

E morre você, com essa sua alma limpa, esse seu coração aberto, essa sua leveza, essa sua amizade escancarada, esse amigo de tanta gente...

Não é justo, a tua morte não é ética do ponto de vista da justiça divina, você não podia cair assim, isso sufoca a gente, deixa os olhos da gente como lagos de sangue, você sabe que está doendo no coração dos camaradas.

Nunca mais a gente tinha ido juntos ao Chega Mais, aquele clube encantado que, tantas vezes, viramos a madrugada, nossas rebeldias e nossas utopias, o álcool, a lua, a boa música, a madrugada.

Você foi o dono da noite, você viveu com uma intensidade que assustava ‘os bem comportados’ de Tarauacá, você estava à frente do nosso tempo, você amava as pessoas de um jeito que desconcertava, ninguém conseguia ter raiva do Valder.

Você era um guerreiro, um sindicalista com cara de diretor, não sabia fazer discurso, mas sabia conquistar e convencer, voz mansa, pausada, convincente, acho que o teu corpo devia ser velado no Sinteac, aonde você foi, depois de mim, o primeiro presidente, e uma bandeira do sindicato dos professores deve descer à terra com você.

Você foi um grande camarada, durante mais de 20 anos, fiel, nunca deixou de contribuir financeiramente com o Partido, quando chamado, nunca faltou uma reunião. Nos últimos tempos, você era um camarada distante, mas fiel, nas lutas do Partido, nas disputas eleitorais, sempre votando e ajudando os candidatos do PCdoB e seus aliados, acho que uma bandeira vermelha deve cobrir o seu caixão.

Que sacanagem a vida fez com você, Valder! Como é que a gente perdoa o destino, assim tão trágico, tão terrível? Nossas almas estão vazias, não sabemos o que fazer, apenas uma dor insuportável, uma raiva desse ciclo vital que se parte como uma folha seca no vendaval, não fica nada, além da ausência, da falta, da dor.

Vai com Deus, meu irmão!


3 comentários:

Valdenisio Pontes disse...

Moisés, você é igual a Jó que do capitulo 1 até o 37 do livro de Jó, escreveu coisas e fez questionamentos, iguais estes que você faz agora, porque não conhecia a Deus, o Grande Criador. Foi preciso Deus mesmo se irritar com tantas barbaridades que Jó dizia sem conhecimento e lhe mostrar quem era Jó e quem era Deus. Capítulo 38 de Jó. Mas quanto a você não pense que Deus vai descer e falar a você, como fez com Jó, pois não precisa, Ele já deixou a Bíblia para nos ensinar: (Romanos 15:4) “Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança.“
Saiba que o Valder agora voltou para o lugar de onde veio (Ec 12:7), pois antes de expirar sua estadia nesta prisão, o Valder pôde receber a chave, que Aquele que veio a esta terra trouxe para libertar os presos da morte, a saber Cristo. Onde o Valder está agora é um lugar que muitos desejariam ir e não vão.

Essas coisas não são da compreensão dos homens sábios da terra, mas dos que receberam sabedoria de Deus (Ef 1:7-8). Por isso, agora você fala assim, por não compreender e não achar respostas, a essência da vida, através da sabedoria humana.

Unknown disse...

Moisés, dissestes muito bem, o nosso Valder não tinha o dom da oratória, mas tinha ação, atitude. Ensinava no silencio, sem alarde.
Ao acompanhar as noticias de homenagens feitas a ele por seus conterrâneos, fico feliz por observar que o povo de Tarauacá não perdeu seus princípios de solidariedade, amizade, respeito, consideração e reconhecimento que é próprio da Família Tarauacaense.
Nasci e cresci neste ambiente saudável onde todos se conheciam,eram amigos e viviam em paz.

Unknown disse...

Acredito que o Valder nos deixou por falta de bom senso, de humildade de "alguém".
É possível entender que um tratamento leve um ser humano ao leito de morte?
Qual o motivo da internação?
A infecção pulmonar foi consequência.
Também pergunto: Como é que a gente perdoa, não o destino, mas ...
Deputado Moisés você é o nosso representante, você pode mais, portanto exija mais atenção, mais empenho, mais zelo e cuidado. Tem muita gente recebendo o mesmo "tratamento", esperamos que não aconteça com outros.