sábado, 15 de janeiro de 2011

UM TRIBUTO À CHUVA


COMO CHUVA DE AGOSTO
Você partiu e não disse a ninguém em que lugar do universo iria guardar sua alma e em que jardim plantaria a sua última flor. Você é a chuva que desce com força e retorna aos céus sem ninguém perceber. Você é a multidão que faz a rua sentir-se avenida e as calçadas se iluminam com os gritos teus, ora de dor, ora de prazer.
Você visitou os cemitérios e de lá não trouxe morte, mas deixou uma galáxia de luz, como se teus olhos fossem fogueiras de diamante líquido. Você é a alma que não faz medo e acaricia todos os desvalidos, os pobres da terra, os mendigos e a dor em carne e osso da humanidade.
Você não partiu por inteira porque ficou uma lágrima perdida no ombro do último profeta e um abraço no pastor das ovelhas daquela planície que ninguém nivelou, porque foi Deus, com suas mãos maternais, que cuidou para que cada curva do caminho tivesse um horizonte e um guia para as nossas almas contrariadas.
Você cruzou os céus cinzentos e luminosos da Amazônia e viu o mar de árvores, como se fossem algas, e se apaixonou pela imensidão sob os teus olhos de viajante. E naquele instante você se apaixonou pela vida, abraçou o ar pressurizado, amou quem não te abraçou na partida e acreditou que o homem será sempre uma aposta nas mãos eternas de Deus.
Você não partiu! Há aqui, nos mãos dos últimos mendigos um pão que você deixou de oferenda, um vinho ácido e um sorriso para o homem que não acredita sequer que a vida é uma dádiva.
Você partiu pela metade, como se fosse um anjo que voa com uma asa só, uma borboleta, uma águia, que usam o vento para ir e voltar e não ficam prepotentes nas alturas e nem humilhados quando pousam nos charcos.
Você é a chuva, a tempestade, a oferta sincera do peregrino, a dor dos perseguidos, a alegria do parto, o êxtase do perdão, a aclamação da vida.
Você é como chuva de agosto!




3 comentários:

Lu disse...

Boa Tarde!

Sr. Moisés! Que lindo! Amei! Muito bom!

Gostaria de pedir sua permissão para postá-lo no meu blog - Olhar acreano

Abraços,

Luciane

Lu disse...

Boa Tarde!

Sr. Moisés! Que lindo texto! Amei! Muito bom!

Gostaria de pedir sua permissão para postá-lo no meu blog - Olhar acreano

Abraços,

Luciane

Anônimo disse...

Obrigada!