domingo, 7 de fevereiro de 2010

O espírito tucano em mil e poucas letras



O jovem Archibaldo Antunes, blogueiro e jornalista, não deixou nem os elogios baixarem e já se pôs a trovejar contra os comunistas, os sem-terra, os petistas e todos aqueles que acham que o capital só resolve os problemas dele mesmo e de seus cúmplices.

Archibaldo Antunes ataca as falas de Lula e de Jorge Viana e os compara a Chaves, Morales, Fidel e até aos comunistas do Leste Europeu.

O jovem escriba tucano esqueceu de lembrar que foi o seu partido, o PSDB, e o seu presidente Fernando Henrique Cardoso que entregaram o Brasil sem estoque de sangue, aflito, com a inflação às portas, o desemprego assustando e matando e a economia brasileira no caos, nas mãos do FMI e dos tubarões que ele não ataca em seu artigo.

Archibaldo Antunes poderia falar de outro assunto, porque economia não é uma boa seara para os tucanos, que desmontaram o Brasil. Se o jovem escriba tiver alguma dúvida, basta checar as pesquisas de opinião sobre o assunto.

Quanto aos comunistas, eu pensava que Archibaldo Antunes fosse menos perverso com a história e mais aberto ao contraditório. Fica feio atacar os comunistas e não dizer uma única vírgula contra os tubarões do capital, que sangram as maiorias pobres do planeta.

Quanto a Fidel Castro, o jovem escriba não escreve diferente de Nixon ou Kissinger, só foi um pouco menos elegante. Sobre Chaves e Evo, Archibaldo Antunes apenas transcreve o ódio de Agripino e de Bornhausen, seus gurus da velha política.

Sobre o MST, tudo bem, eu não ia exigir que um escriba tucano defendesse aqueles que não têm terra, que morrem nas periferias do capital ou aqueles que não votam em Serra, porque sabem que é prenúncio de morte na vizinhança e, como aperitivo, a truculência policial nos seus pobres acampamentos.

Meu caro Archibaldo, sobre os sem-terra, desfira os seus golpes contra os líderes, mas não deixe de ter um olhar de compaixão com as maiorias esbulhadas pelo capital.

E olhe que Archibaldo Antunes só usou 1.334 letras!



4 comentários:

Archibaldo Antunes disse...

Meu caro deputado, não queira menoscabar meus argumentos a partir da minha filiação partidária. Ao contrário de muitos militantes - tanto de um lado quanto do outro - não pauto minhas opiniões por esse viés. Lembro o dia em que fiz publicamente algumas críticas ao Tião Bocalom e sua forma de se conduzir políticamente e você me deu os parabéns na Assembléia por não condicionar minha pena às penas tucanas. Pois agora me parece que só me dou a alguma independência quando ouso criticar os que estão na minha seara.

Acreucho disse...

Meu caro Moisés, as vezes eu não entendo você!

Luís Eduardo C. R. Valle disse...

Putz!!!
Tá aí um comunista.
Comunismo!? Onde!?
Na União Soviética!?
Em Cuba!?
Cadê?
Só não há comunismo pra família dos ditadores.
É a população na miséria e os poderosos num outro patamar. Espera ter isso por aqui? Hoje você faz parte dos poderosos?
E vem falar de sem terra!? Ta louco!? Defendendo uma classe de bandidos!?
Aqulilo ali são bandidos.
Me parece ser um tanto ignorante. Deve ser.

Anônimo disse...

Enquanto estão discutindo as podres dapolítica acreana, Por que nãose preocupam a se preocupar com as políticas públicas sociais,como a Educação?? Pois, enquanto o Governo paga os policiais,melhor mais de 2mil reais, a educa~çãonão passa de 1.600,isso nível superior..Ainda falam em educação. E o professor sempre na pressão....Que vergonha. Ora do voto, prestem aatenção...